quinta-feira, 16 de julho de 2009

Abstrato



Ainda sem grandes marcos, sem grandes histórias, nem grandes conquistas,


Não sou especial, não sou referencia, mas também não sou alvo de criticas,


Ainda mais complexo, sem dor, mas cheio de seqüelas,


Sobrevivendo, com medo e com pouca expressão...



Não sou alguém que mereça olhares admirados,


Não perco tempo, mas o gasto com coisas fúteis,


Não leio muitos livros, mas levo comigo os necessários,


Não tenho,mas sei ser...



Exagero na sinceridade,


Sou menos do que você, mas é o suficiente pra eu continuar sendo o que sou,


Ou seja, ainda continuo sendo menos que você,


Mas sou feliz assim...



Vivo fantasias, as prefiro, pois odeio minha realidade,


Persigo meus sonhos modestos,


Prefiro não ser alguém para o mundo,


Mas significar ao menos algo para alguns...



Pouco me importo se te faço feliz,


Talvez não tenha esse dom mesmo...


Mas tento ser feliz, mas só tento,


Pois quando alcanço a felicidade, essa nem dura muito...



Pouco sei de mim mesmo,


Fantasio sobre meu estado real,


Mas prefiro esse devaneio,


Pois a vida passa tão rápido que as vezes não a acompanho...



Mas prefiro ser noite,


Prefiro ser misterioso,


Prefiro não me atirar no fluxo da multidão,


Sou a rota alternativa...


3 comentários:

Lucas Moratelli disse...

A eterna busca do homem por uma definição completa do que ele é.

Gostei.

Desculpa meu sumiço por aqui.

Abraço Grande.

Ariana disse...

Td haver cmg! ;)

Cecilia Mouta disse...

PRECISO conseguir musicar esse poema *o*