terça-feira, 14 de abril de 2009

Perdido



Quando lhe vi pela primeira vez, tive a certeza de que nos amaríamos.
Sem que deixássemos passar muito tempo, construímos uma grande história, que ainda acontece...
Mas histórias de amor, abrigam em seu sentido as derrotas e as vitórias, justificam-se por nos fortalecer nos momentos difíceis, nos dá motivos para crer em amor verdadeiro, e como em dias intermináveis de chuva, o amor acaba sendo igual ao sol, que resolveu, enfim, sair de trás das nuvens para reanimar o dia.
E como naqueles dias em que há sol e chuva, meu dia não é nem sol, nem chuva... As duas situações revezam-se fazendo com que eu me sinta hora aquecido pelos seus raios, hora perdido nas inúmeras gotas que inundam minhas vias do amar...
Nos vários tipos de amor, nos acolhemos naquele que mais nos agrada, e enquanto minha vida passava resolvi por morar eternamente dentro do seu amor, mas como se no retornar de um dia cansativo, louco para me acolher em seus abraços, encontrasse na devassidão de uma tempestade, apenas fragmentos de uma vida...
Me sinto como um menino na pré- escola, com um tubo de cola nas mãos, recolhendo caquinhos, indo atrás de um caquinho aqui, juntando com outro ali, tentado construir com o que restou, uma casa igual a que eu tinha antes, e mesmo que eu nunca encontre os pedaços que a tempestade levou, quero construir pelo menos um bangalô modesto, onde eu possa novamente me acolher, me aquecer, onde mesmo que haja falhas estruturais, doarei todos meus esforços para que nunca mais um só pingo de chuva adentre nossa estrutura.
Nesse momento, só quero ter forças para manter minhas mãos e dedos tapando cada buraco desse bangalô, quero forças para impedir que gotas resolvam nos inundar novamente, quero que como no instinto de um castor, construir pela 30ª vez uma nova barragem e segurar toda essa água vinda de todos os lados...
Só quero que fique tudo bem.

3 comentários:

Janah Lourenzo disse...

É recíproco.

Quero que tudo fique bem...

Você escreveu lindamente... vamos tentar reconstuir tudo que essa tempestade derrubou, reerguer as coisas...
Tenha forças... muita força!

Bjos..

Te levo cmg.

Ugly Dréh disse...

sews textos são mto bons


hatto://drehosbourne.blogspot.com

Ariana disse...

Maravilhoso Rafinha!
É fácil perceber que vc escreveu com muito sentimento, acho que por isso está tão lindo!

Bjús